GOVERNANÇA TRINA PROVISÓRIA

Carta Aberta ao Brasil

Momento crucial que passamos no #Brasil tem uma porção de coisas para serem lembradas para se chegar no que estamos passando agora. E no meu modo de ver, não se justificam as batalhas verbais, os posicionamentos,  que se travam pelo País, a nível de povo, haja vista que se busca um objetivo comum, que é a moralização política no Brasil e um ataque surdo à corrupção. Falta é um agrupamento das ideias e ideais comuns e um movimento bem dirigido e certeiro contra tudo e contra todos que representam o atraso, a safadeza e a corrupção. Sabemos quem são, onde estão, o que fazem e como fazem. Não falta mais nada que não seja organização de nossa parte. O momento é propício e devemos aproveitar para fazer uma limpeza geral.

Vamos nos lembrar que o Brasil é um país do terceiro mundo, com graves problemas sociais e metade da população analfabeta e muito perto para cima e para baixo da linha de pobreza. Mas é também um país com ilhas de desenvolvimento exploradas e mantidas por uma Elite que se mantém no timão da Nação desde a época da Colônia. E que essa dicotomia social gerou um mundo severo para toda uma classe esquecida, que depois de passar por muitas amarguras, depois de muitas conversas de políticas, teve no governo petista em nível nacional, um programa que visava recuperar todo esse contingente para níveis aceitáveis de sociedade.

A estabilidade econômica conseguida com o Plano Real a partir de 1994, principalmente com o controle da inflação, deu condições para o Presidente Lula emplacar o Programa Bolsa Família, que seria capaz de retirar os pobres da pobreza. E o que se viu foi uma revolução nesse nicho. As pessoas começaram a ter um dinheirinho ‘certo’. Isso trouxe um alento. Outros programas populistas e ‘necessários’ foram implantados e começaram a dar frutos: muitos pobres deixaram a linha de pobreza, compraram veículos, compraram tv, compraram mais comida, abriram pequenos negócios, passaram a estudar mais, passaram a andar de avião, etc.

O Brasil sentiu o aumento no consumo interno, chegando a se livrar da Crise Econômica que assolou o Planeta em 2008. A política expansiva e assistencialista do Governo Lula serviu para tirar milhões de brasileiros da pobreza absoluta e levar para uma pobreza ‘entre aspas’, pois muitos não conseguiram acompanhar os ditames da nova Era e estagnaram no mesmo patamar, sustentados por uma ninharia representada pela Bolsa, criando na população economicamente ativa uma repulsa por sustentá-los.

Entretanto, não podemos esquecer que a contrapartida do Bolsa Família é justamente a colocação das crianças na Escola. Hoje milhões de crianças são assistidas diariamente com educação, merenda, fardamento, acompanhamento farto de saúde, transporte escolar, creches, educação infantil, etc., e isso deverá apresentar um bom resultado no futuro, se o País melhorar seus índices econômicos e sociais (pois adiantará pouco se essas crianças habitarem sempre um mundo desestruturado) e puderem almejar boas condições de emprego e renda.

Defendo a política social aplicada pelo PT, com vários ajustes, que venha realmente melhorar os resultados. O povo pobre merece, isso é inconteste. Os programas precisam então englobar os Pais, pois como disse acima, não adianta um SCFV, uma creche fantásticos se a criança volta para um lar esfacelado pela sujeira, pela droga, pelo analfabetismo. Por outro lado, uma política pública aplicada por um governo que de um lado pensa na Pobreza e por outro libera a Corrupção não é um bom governo. Apresenta dubiedade de sentimentos e de resultados. Para ser Governo ou Gestor, é necessário:

Princípios Éticos-constitucionais que ordenam a Administração Pública.

Princípio da #legalidade. Princípio da #impessoalidade. Princípio da #moralidade.

Princípio da #publicidade. Princípio da #eficiência.

Enquanto ocorria essa espécie de revolução social, essa tentativa de equalizar as classes sociais, o que aconteceu em pequeno grau, observou-se um fato totalmente inédito no País, que foi a resultância de investigações da Polícia Federal sendo levadas adiante e não mais as ocorrências terminadas em ‘pizza’ que se tornaram tão constantes anteriormente. De um momento para outro, os crimes de colarinho branco passaram a ser investigados e tiveram início as perdas de mandatos. As operações que antes terminavam engavetadas deram lugar para as operações que passaram a apresentar culpados e penalidades.

Chegamos ao Mensalão, com parlamentares e empresários denunciados, presos, mandatos perdidos. Roberto Jefferson entrou para a delação premiada e deu nome aos bois e o PT foi envolvido através de José Dirceu e companhia. Estava acesa a luz amarela que culminaria nos acontecimentos de ontem.

A opinião pública, ou seja, eu, você, eles, todos pedindo a cabeça dos culpados, exigindo justiça, xingando a mãe dos Deputados e Ministros, sugerindo bombardeio atômico no Congresso Nacional, palavras de ordem de todo tipo, charges e piadas nos jornais e na internet a cada dia, em cada lugar, o próprio povo se auto-intitulando de palhaço, cartas e revistas com matérias detonando toda classe política. Porque ninguém aguentava mais saber que estava pagando caro os juros escorchantes e desgastando sua vida para suprir os parlamentares com nosso rico dinheirinho.

O acirramento da Crise Econômica Mundial na maioria dos países, o pé no freio da China que era o maior comprador de matéria-prima do Brasil foi fazendo com que ficássemos em maus lençóis e tudo culminou em 2014, quando o Governo Central teve que pagar as contas da Copa da Mundo, onde se gastou 40 bilhões de reais em estádios que em sua maioria se tornaram inoperantes logo depois e os incontáveis (indizíveis) bilhões gastos para a reeleição da Presidente Dilma, se bem que parte foi gasta em Patrulha Motorizada (maquinário) e que servirá durante anos aos brasileiros.

Outras operações envolviam Pasadeña, a Ferrovia Norte-Sul, a Usina de Abreu e Lima, a Transposição do São Francisco, casos de superfaturamentos bilionários que acenderam a luz vermelha sobre o Governo. Acredito que ninguém esqueceu disso, né?

Então surgiu a Operação #LavaJato, investigando lavagem de dinheiro em postos de combustíveis.  A operação avançou. A citação a seguir está no site do MPF: “No primeiro momento da investigação, desenvolvido a partir de março de 2014, perante a Justiça Federal em Curitiba, foram investigadas e processadas quatro organizações criminosas lideradas por doleiros, que são operadores do mercado paralelo de câmbio. Depois, o Ministério Público Federal recolheu provas de um imenso esquema criminoso de corrupção envolvendo a #Petrobrás.”

Daí em diante, as investigações foram envolvendo as grandes Empreiteiras do País, como OAS, Odebrecht, Mendes Júnior, Camargo Correia, Engevix. Os diretores e outros executivos foram presos. Então começaram as delações premiadas. Foi uma entrega total e hoje mais da metade dos Congressistas e dos Partidos estão com a sua honrosa história atirada na mais fétida lama.

E teve início uma luta entre as forças políticas pelo Poder que se vislumbrava passível de vacância do cargo maior, o da Presidente. Queria-se também, pois há uma certeza sem provas cabíveis até o momento, ligar todo o esquema da Petrobrás ao ex Presidente Lula. Estava dada a sinalização e o luminar para os passos futuros.

De repente, a Presidente envolvida com as pedaladas fiscais, que é crime de responsabilidade, o Deputado Cunha acusado de desvios e corrupção e contas no Exterior, suspeições sobre outros grandes nomes da República, de Ministros a Senadores e o circo prestes a pegar fogo, delações a todo momento, Lava Jato a todo vapor…

Trem descarrilado… avião sem combustível a 11 mil metros de altitude… bomba caindo.

Havia e ainda há a desconfiança de que tudo pode acabar em pizza. Duvidam? Um acordão bem feito e o Brasil fica a ver navios. Será?

Talvez não. Cunha mostrou que tem culhões vermelhos e não roxos como Collor. Segurou-se no poder e centralizou fogo na Presidente Dilma, demonstrando que sabe o que faz. Os Deputados que estão ao seu redor conhecem bem o cantar do cancão e tomaram o seu partido quando o PMDB pulou do trem antes do fatídico dia (ontem). Foi uma debandada quase generalizada, e ficaram apenas aqueles que não podiam sair de jeito ‘nenhum’… entenderam?

E o povo que antes queria moralidade, que suspirava o nome do Juiz #Moro, que reclamava da pizza? dividiu-se junto. Marcou posição em cima das mordomias alcançadas, em nome dos avanços sociais, em nome da partidarização já desfeita pelos pérfidos representantes, em nome do deputado fulano-de-tal, em nome do disse-me-disse, esquecendo-se que tem o verdadeiro poder se estiver organizado, abdicando de fazer valer o direito a justiça que tanto aspirava. Movimento estéril: Dividiu-se em nome deles.

Sabe por que? porque todos estamos cansados de falar, de ouvir, que devemos saber escolher os nossos representantes. Mas não. Escolhemos pela cara, pelo discurso, pelo que podem pagar, pelo cargo que podem nos dar, pela promessa de salvador da Pátria. Não vamos atrás de saber se são dignos, não verificamos se tem ficha suja, fechamos os olhos para os acordos que fazem durante a época da campanha, não importa se são ou não competentes e habilitados para o cargo. Basta ter sobrenome famoso, basta ser bonito, basta ter poder e nós votamos nesses caras.

Foi autorizado o início do processo de impeachment de Dilma e agora não tem jeito de voltar. Aconteceu ontem. E tudo o que aconteceu ontem é somente, tão somente o resultado de muitos acontecimentos, de muitos desmandos, de muita roubalheira, de muita irresponsabilidade, nossa e deles. Deixaram o Brasil vagando no oceano sem rumo, sem comando. E quando teve comando foi errado, equivocado, foi desgovernado sim Senhor. Quem ousa negar isso?

Esquecemos das horas nas filas de atendimento, da falta de médicos, da falta de medicamentos, da falta de água nas torneiras, dos cargos fatiados nos palácios e tribunais, dos parentes e amigos assaltados diariamente, dos assaltos a bancos e correios noturnamente, das nossas casas fortificadas contra bandidos, dos mais de 50.000 assassinatos nas ruas brasileiras, das drogas chegando nas portas das escolas e desmantelando as famílias, da pirataria que praticamos dia-a-dia. Repito e acrescento: Estão pensando em deixar tudo de lado e esquecendo o roubo dos cofres públicos, o atendimento medíocre nos hospitais, a total falta de segurança no Brasil, os milhares de empregos perdidos (10 milhões), e todos os nossos representantes verdadeiros bandidos a nos assaltar diariamente.

E vejo o povo marcando terreno, discutindo, xingando-se, enfrentando-se, prestes a se tornar um conflito armado, pois o #MST afirmou que o Brasil ferveria se Dilma caísse. Tudo porque as pessoas estão se apegando a fatos mínimos e esquecendo o grande cerne da questão, estão sem saber o que realmente importa. Estão defendendo o indefensável. Estão pensando em soluções caseiras e simples.

O que devemos e podemos fazer? Precisamos reagir, precisamos de um rumo. E para isso é preciso que se busque primeiro de tudo, a Honestidade para Governar.

Não queremos Michel Temer. Não queremos Cunha. Não queremos Aécio. Não queremos Renan Calheiros. Estamos todos tremendo de medo deles, querendo jogar sobre eles a nossa ruína, o nosso infortúnio, a nossa desgraça. Não devemos e não podemos agir assim. Temos que lutar. Estamos perto do fundo do poço, ou já estamos lá e não sabemos. Por que não aproveitamos para fazer a faxina geral?

O momento é oportuno para a Grande Virada. O País está dividido. Metade triste porque escolheu a bandeira de Dilma (mas a maioria é a mesma que há poucos dias reclamava de tudo no Governo) e não quer nenhum dos seus Sucessores. A outra Metade feliz porque conseguiu emplacar o Impedimento da Presidente, mas também não quer nenhum dos seus Sucessores.

Então nisso estamos todos de acordo? Por isso é um grande momento. Vamos trabalhar para varrer o Congresso. Vamos às últimas consequências cabíveis para passar o Brasil a limpo.

Precisamos de uma moratória política. Precisamos de uma Governança Trina Provisória, que leve o Brasil para Eleições Gerais num prazo de 180 dias. E que os próximos representantes sejam homens de ilibada conduta e notório saber, como deveria ser para todos os cargos nesse país, levadas em conta as suas colocações.

Repito. Precisamos de um Governo Provisório para levar o Brasil às Eleições Gerais. Ou isso, ou teremos nadado, nadado e morrido na praia. Vamos nos unir, deixar de discursos baratos que não somam. Vamos somar, multiplicar.

Precisamos também de uma NOVA #CONSTITUIÇÃO, pois nosso código de Leis está muito doido, desvirtuado pelos Representantes que temos, desregulado, controverso, dúbio. De nada adianta Congresso novo com Leis desleais. Acreditem, o buraco é profundo e difícil. Gritar e esbravejar em vão não vai ajudar em nada a formar o novo Brasil que queremos.

E não temam, pois o preço que pagaremos em qualquer cenário será alto, mas uma coisa é pagar por uma coisa justa que nos trará melhorias dentro de algum tempo… outra muito pior é pagar de forma injusta, e que nos maltrata, pisoteia, tripudia, adoenta e aniquila.

Viva o Brasil!

G. G. Carsan, um brasileiro

 

Sobre g. g. carsan

comunicador, escritor, fotógrafo e webdesign
Esse post foi publicado em A Princesa do Curimataú, Em Cartaz, Justiça, Política, Sociedade e marcado , , , , , , , , , , , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s