Caminhada da Saúde

Caros amigos da Serra,

O falecimento precoce do nosso vizinho de município, Paulo Viana, ocorrido nessa semana, serve de exemplo e puxão de orelhas para todos nós, seres vivos sedentários, que teimamos em permanecer na preguiça e tentamos justificar de todas as formas, principalmente com a falta de tempo, o desprezo pela prática de exercícios físicos e caminhadas.

Um das coisas mais ouvidas no campo da Saúde é que precisamos de exercícios regulares e caminhadas, um ou outro, seja como for, dentro do possível. O que não podemos é ficar parados.

O nosso corpo não é preguiçoso. Nós é que somos preguiçosos, quando deixamos tudo para depois. Ou quando não priorizamos a nossa qualidade de vida, colocando o trabalho e o lazer em primeiro lugar. Geralmente quando não estamos trabalhando, estamos em movimento de lazer: dormir, jogar, ver tv, navegar na web, viajar, praia, shopping. Temos tempo para levar menino na escola, para ir à pescaria, estar na festa do níver meu compadre, para papear na porta da casa de fulano, para tomar uma (grade) com meu amigo… mas não temos um mísero tempo para cuidar da saúde… a não ser quando já é tarde, quando já é complicado, etc.

O exercício físico e a caminhada é que suprem as nossas faltas de circulação, de movimentação de todos os músculos, de desentupimento das artérias, de trabalho socializado do organismo, de fortalecimento dos ossos e da coluna. Nada disso acontece da forma correta enquanto trabalhamos ou enquanto estamos sentados ou deitados. Só surge resultado quando estamos em movimentação contínua, constante, concentrada e num ambiente de ar puro, clima agradável.

O infarto é um vilão que mata homens e mulheres o tempo todo. Quando pega uma pessoa até os 30 anos não tem escapatória, pois o corpo jovem ainda não criou uma rede sanguínea que possa substituir a oficial, numa emergência. Entre os médicos, há o consenso de que a idade mais propícia para infartar é na casa dos 50 anos, a idade do Lobo. Portanto, quem chegou aqui, todo cuidado é pouco.

Tem que fazer caminhada regularmente, ANTES DE ACONTECER, pois pode ser fatal. Tem que controlar a pressão alta, se houver. Tem que se alimentar de forma correta, evitando gorduras, sal e bebida alcoólica.

Há poucos dias, realizamos a I Caminhada de Inverno em Dona Inês e se contava nos dedos de uma mão o número de pessoas que estão na fase de risco, caminhando. Nos próximos dias teremos outra e vamos ver quem vai aderir. Todavia, não é somente nas caminhadas longas que se tem benefício. As caminhadas curtas e regulares também funcionam para prevenir.

Caminhe 1 hora três vezes por semana e está de bom tom, mas vá aos poucos, não comece forçando muito. Aja naturalmente que o seu corpo pedirá mais. Basta interpretar os sinais. Quando se sentir melhor, corra um pouco. Comece devagar, 100 metros… caminhe… 200 metros… vá aumentando gradativamente, mas não exagere, você não está pensando em ser maratonista, não é?

Obs: Certa vez um amigo  médico me disse: “Se tiver um princípio de infarto, dor forte no peito, coloque um ‘isordil’ debaixo da língua e tire para o hospital mais próximo. Tenho sempre comigo na carteira”. Isordil é um medicamento de uso oral ou sublingual, que possui como substância ativa o dinitrato de isossorbida, um vasodilatador de ação direta que relaxa a musculatura lisa diminuindo deste modo a dor no peito.

Saúde!

Geraldo Guilherme, para a Voz da Serra

Sobre g. g. carsan

comunicador, escritor, fotógrafo e webdesign
Esse post foi publicado em Educacional e marcado , , , . Guardar link permanente.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s